Porto Alegre respira inovação com South Summit

Atualizado: 7 de mai.


Multiprojeções de vídeo proporcionam uma experiência mais imersiva de uma apresentação audiovisual


A primeira edição da South Summit realizada em Porto Alegre, entre os dias 4 e 6 de maio, foi um sucesso de público, conteúdo de inovação e acima de tudo um espaço para networking de quem está ou quer estar conectado na nova economia. Só o fato da cidade, virada de costas para o rio Guaíba, com armazéns enferrujados pelo tempo, abrir espaço no cais da Mauá para um grande evento da noite para o dia foi inovador.

Todos os 10 mil ingressos foram vendidos, mais de 20 mil pessoas passaram pelo local. A South Summit apresentou palestras muito interessantes com líderes e empreendedores de diversas áreas, desde o agronegócio, a indústria, serviços e muita tecnologia. Um universo alinhado com um futuro que já está presente em alguns setores e empresas tradicionais, mas que já faz parte do DNA das Startups.

Painéis lotados nos armazéns do Cais da Mauá

NFT, Metaverso, Criptomoedas, Blockchain, Marketing Digital, Transformação Digital, soluções digitais para uma infinidade de negócios, estratégias de gestão e liderança, governança, novas oportunidades no mercado de trabalho fazem parte da linguagem desta atmosfera da inovação. Foi possível ter uma experiência imersiva com óculos e controles e também uma apresentação em um salão com projeções em 360ª. Uma degustação do que vem por aí no Metaverso. A gente já sai do local sabendo mexer nos controles, como apontar em botões, pegar objetos, jogá-los, controlá-los tudo num ambiente virtual e consegue ter uma ideia do que é caminhar e percorrer num espaço imersivo com imagens por todos os ângulos do olhar.

Experiência no Metaverso da Meta4Chain

Não faltou conteúdo e ainda havia espaço como feira mesmo para startups e empresas apresentarem suas ideias e novos negócios. Além disso, mais de 1.000 startups se inscreveram para uma competição que teve 45 finalistas e 5 grandes campeões. A vencedora foi a empresa gaúcha Yours Bank. É um banco digital que funciona como educador financeiro de jovens. Além do Brasil, participaram startups dos EUA, Espanha, Índia, Nigéria, Turquia, Reino Unido, Argentina e Colômbia.


A COMUNICAÇÃO PODE MELHORAR

A comunicação é uma das áreas que mais senti falta de inovações, discussões e até mesmo a própria estrutura para a comunicação interna no evento precisa melhorar. Talvez por ser a minha área esteja querendo demais. O diretor de Estratégia e Tecnologia da Globo, Raymundo Costa Pinto Barros, apresentou o painel "A Nova Era de Ouro da Televisão: Liberação de Audiência, Grátis e ao Vivo" . Foi bem interessante trazer algo sobre a TV 3.0 que vai mixar experiências conectadas com sintonizadas numa plataforma ainda gratuita que é a TV Aberta.

Um dos problemas foi ótimo porque havia tanta gente num espaço que acabou sendo pequeno, sinal do sucesso do evento. Só que a acústica do grande palco de palestras e da Arena foi prejudicada pelo perfil das construções, além de sistema de ventilação e geradores que provocavam ruído, misturado a muita conversa positiva . Toda esta muvuca do bem acabou abafando o som das palestras que tiveram um sistema de som impecável mas mesmo assim se tornaram ambientes bem dispersivos e até mesmo desconfortáveis.

A RBS montou uma casa como faz na Expointer e em outros eventos. Bem bonita, em container preto, mas transmitiu alguns programas de lá e fez entradas ao vivo para a TV sem qualquer inovação, sem apresentar seus cases de produtos digitais, exceto painel com seu CEO Claudio Toigo. Jamais vou esquecer de uma palestra bem inovadora à época, em Florianópolis, do Nelson Sirotsky, há uns 20 anos, falando que a mídia digital seria complementar a tradicional empunhando uma espada iluminada como um Jedi de Star Wars.

Um pouco de arte com grafiteiro no Muro da Mauá

Não pude acompanhar tudo no ar, mas não percebi os demais veículos de comunicação no local. Só os tradicionais amontoados de câmeras e microfones atrás das autoridades e dos palestrantes mais famosos. Seria legal ver um estúdio de Podcast do evento, aberto ao público para interagir com as ferramentas de comunicação, poderem gravar seus vídeos, e também discussões mais diversificadas.